O Ministério Público de Santa Catarina utiliza cookies para gerar informações estatísticas de visitação, aperfeiçoar a experiência do usuário e prestar os serviços online.
Respeitando seu direito à privacidade, em breve você poderá fazer a gestão dos cookies por ferramenta própria disponível no site.
Até a implementação da ferramenta, você poderá optar por impedir/modificar esse tratamento por meio das configurações do seu navegador.



Na manhã desta quinta-feira (26/6), o Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO), em conjunto com a 3ª Promotoria de Justiça da Comarca de Rio do Sul, deflagrou a operação batizada como "Quaerens Veritate", realizando o cumprimento de mandados de busca e apreensão e prisão temporária no município de Agronômica. 

A 3ª Promotoria de Justiça da Comarca de Rio do Sul e o GAECO buscam, em complemento às investigações e diligências promovidas pela Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Rio do Sul, desvendar o desaparecimento de Vanisse Helena Vieira Venturi, de 39 anos, residente na cidade de Agronômica e vista pela última vez em 22 de julho de 2020. 

Com base nas evidências reunidas no inquérito policial e nas análises técnicas dos policiais da força-tarefa, a investigação fecha o cerco para identificar o verdadeiro responsável pelo desaparecimento de Vanisse ou o suspeito pelo provável homicídio e ocultação do cadáver. 

Ao todo, foram expedidos pelo Poder Judiciário (Vara Criminal da Comarca de Rio do Sul) um mandado de busca e apreensão e um mandado de prisão temporária, que estão sendo cumpridos pelos integrantes do GAECO - Grupo Regional de Blumenau, com apoio da DIC e do Corpo de Bombeiros Militar de Brusque e Curitibanos, com suas equipes de cães farejadores para a localização dos possíveis restos mortais.

O nome da operação, quaerens veritatem, é uma expressão latina que faz alusão à busca pela verdade.