O Ministério Público de Santa Catarina utiliza cookies para gerar informações estatísticas de visitação, aperfeiçoar a experiência do usuário e prestar os serviços online.
Respeitando seu direito à privacidade, em breve você poderá fazer a gestão dos cookies por ferramenta própria disponível no site.
Até a implementação da ferramenta, você poderá optar por impedir/modificar esse tratamento por meio das configurações do seu navegador.



PostO Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) reuniu-se, na manhã desta quarta-feira (10/5), com representantes dos municípios do Médio Vale do Itajaí para falar sobre as possibilidades e limitações do licenciamento ambiental ser realizado por meio de consórcios municipais.


Para o Coordenador do Centro de Apoio Operacional do Meio Ambiente do MPSC, Paulo Antonio Locatelli, é importante a discussão entre Promotores de Justiça, Prefeitos, Associação de Municípios e técnicos acerca do licenciamento ambiental municipal. "Principalmente em relação ao limite de atuação dos Consórcios formados para o cumprimento de tal finalidade. É necessário que os municípios estejam devidamente equipados, preenchendo os requisitos legais e exercendo efetivamente a fiscalização", ressaltou Locatelli.

A reunião contou com a participação de Promotores de Justiça das Comarcas de Ascurra, Indaial, Timbó e Blumenau, de Prefeitos e representantes dos Municípios da região, além de representantes da Associação dos Municípios do Médio Vale do Itajaí (AMMVI) e da Federação Catarinense dos Municípios (FECAM).