O Ministério Público de Santa Catarina utiliza cookies para gerar informações estatísticas de visitação, aperfeiçoar a experiência do usuário e prestar os serviços online.
Respeitando seu direito à privacidade, em breve você poderá fazer a gestão dos cookies por ferramenta própria disponível no site.
Até a implementação da ferramenta, você poderá optar por impedir/modificar esse tratamento por meio das configurações do seu navegador.



A 7ª Promotoria de Justiça da Capital instaurou um procedimento para apurar possíveis irregularidades na utilização de um helicóptero locado pelo Governo do Estado pelo então Presidente da Assembleia Legislativa (ALESC) e um assessor em 2015. Na época, a ALESC e a Secretaria de Estado da Casa Civil tinham um convênio que permitia o uso da aeronave pelo Presidente do Legislativo estadual. 

O inquérito civil foi instaurado, nesta segunda-feira (26/4), pelo Promotor de Justiça Rafael de Moraes Lima a partir de matérias jornalísticas veiculadas na imprensa sobre a possível prática de ato de improbidade administrativa pelo ex-Presidente da ALESC e um assessor. O objetivo é apurar se o então parlamentar, acompanhado de um assessor, utilizou o helicóptero contratado pelo Governo do Estado para deslocamento sem uma agenda oficial ou interesse público que o justificasse.

O Ministério Público de Santa Catarina já requisitou informações à Secretaria de Estado da Casa Civil, à empresa de táxi aéreo e à ALESC. Os ofícios foram enviados na tarde desta terça-feira (27/4) com prazo de 10 dias para resposta.