O Ministério Público de Santa Catarina utiliza cookies para gerar informações estatísticas de visitação, aperfeiçoar a experiência do usuário e prestar os serviços online.
Respeitando seu direito à privacidade, em breve você poderá fazer a gestão dos cookies por ferramenta própria disponível no site.
Até a implementação da ferramenta, você poderá optar por impedir/modificar esse tratamento por meio das configurações do seu navegador.



Post

A integração e o investimento das instituições do estado no combate ao crescimento dos crimes cibernéticos foram destaques na abertura do "II Seminário de Investigação Criminal na Era da Informação", ocorrida na quarta-feira (25/5) na Academia da Polícia Civil (Acadepol), em Florianópolis. 

O evento reúne, durante três dias, nomes conhecidos no universo digital da investigação criminal e é promovido pela Associação dos Delegados de Polícia de Santa Catarina (Adepol-SC) e pela Polícia Civil de Santa Catarina. Conta, ainda, com o apoio do Centro de Estudos e Aperfeiçoamento Funcional do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) e da Academia Judicial de Santa Catarina.

Iniciativa do MPSC é destacada em palestra

A integração institucional na segurança pública foi o tema da palestra de abertura, ministrada pelo Subprocurador-Geral de Justiça para Assuntos Jurídicos do MPSC, Fábio de Souza Trajano, pelo Presidente do Tribunal de Justiça de Santa Catarina (TJSC), Desembargador João Henrique Blasi, e pelo Delegado-Geral da Polícia Civil de Santa Catarina, Marcos Flávio Ghizoni Júnior. 

Fábio de Souza Trajano pontuou, entre outras importantes ações do MPSC, que estão sendo implantados no estado os Cyber GAECOs, unidades especializadas em investigações de crimes cibernéticos que também irão reforçar o combate à cibercriminalidade. 


Post

Além do Subprocurador-Geral de Justiça, o MPSC está representando no evento pelo Coordenador de Inteligência e Segurança Institucional, Promotor de Justiça Márcio Conti Junior, e pelo Coordenador do Centro de Apoio Operacional Criminal e da Segurança Pública, Promotor de Justiça Jádel da Silva Júnior, que proferem palestras no seminário. 

Integração como caminho para o enfrentamento 

O Presidente do TJSC lembrou que Santa Catarina já conta com vários experimentos de atuação integrada dos órgãos de segurança e pontuou a necessidade de avanços em relação ao enfrentamento dos crimes cibernéticos. "As estatísticas mostram o crescimento da cibercriminalidade. É preciso investir em tecnologia, informação e inteligência artificial, e o estado está procurando se aparelhar para esse enfrentamento", considera João Henrique Blasi.

O Delegado-Geral da Polícia Civil, Marcos Flávio Ghizoni Júnior, ressaltou a expansão de tecnologia pela Polícia Civil, como os plantões regionais digitais pelo estado, o modelo nacional de integração do Colegiado Superior de Segurança Pública e Perícia Oficial, a criação do Ciber-Lab na Diretoria Estadual de Investigações Criminais (DEC/PCSC), entre outras iniciativas. "Sem cooperação e integração não há segurança pública. O envolvimento coletivo é destaque em Santa Catarina e vamos aprimorar ainda mais esse modelo em busca das investigações que gerem resultado, que são o nosso lema", enfatizou. 

A capacitação dos policiais civis por meio de cursos foi um dos pontos destacados na abertura pelo Diretor da Acadepol, Delegado André Bermudez, em busca da investigação qualificada.  Segundo a Presidente da Adepol-SC, Delegada de Polícia Vivian Garcia Selig, o momento atual é fundamental para o fortalecimento das instituições. "O objetivo da Adepol com este seminário é este: a interlocução entre as instituições do estado na busca do aprimoramento da investigação criminal e da persecução criminal como um todo", afirmou.