O Ministério Público de Santa Catarina utiliza cookies para gerar informações estatísticas de visitação, aperfeiçoar a experiência do usuário e prestar os serviços online.
Respeitando seu direito à privacidade, em breve você poderá fazer a gestão dos cookies por ferramenta própria disponível no site.
Até a implementação da ferramenta, você poderá optar por impedir/modificar esse tratamento por meio das configurações do seu navegador.



Post

O Tribunal do Júri da Comarca de Chapecó atendeu em parte ao pedido do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) e condenou um homem por tentativa de homicídio qualificada por recurso que dificultou a defesa da vítima e por disparo de arma de fogo. O réu terá de cumprir seis anos de prisão, em regime semiaberto, por tentar matar um homem e efetuar disparos de arma de fogo contra um Policial Militar, que estava de folga e evitou que o homicídio se concretizasse. 

O Promotor de Justiça Gustavo Moretti Staut Nunes, que representou o MPSC na sessão do Tribunal do Júri desta sexta-feira (12/8), explica que o Ministério Público atuou pela condenação do réu por duas tentativas de homicídio, o que foi parcialmente acolhido pelo Conselho de Sentença.  

¿Os jurados entenderam que o acusado tentou matar a primeira vítima, sendo impedido pela intervenção de um Policial Militar, que ali compareceu ao ouvir os gritos de socorro. Ao ser advertido, o suspeito atirou uma vez contra o policial e fugiu, fato este que os jurados interpretaram como crime de disparo de arma de fogo, e não como uma segunda tentativa de homicídio. O Ministério Público vai recorrer para aumentar a pena aplicada¿, ressalta o Promotor de Justiça.  

Da sentença cabe recurso e ao reú foi concedido o direito de recorrer em liberdade. 

Entenda o caso 

De acordo com a denúncia, na madrugada do dia 24 de junho de 2019, por volta das 2h30, na rua Peru, no bairro Líder, a vítima estava saindo de uma casa noturna acompanhada de outras pessoas, e ao passar por um posto de combustíveis, viu o réu com alguns amigos, momento em que começaram com provocações.  Na tentativa de fugir da situação, a vítima começou a correr, mas foi perseguida de carro e foi atropelada pelo réu. Após o atropelamento, o condenado desceu do carro e começou a agredir o homem com socos e chutes, não satisfeito sacou uma arma de fogo e disparou contra a vítima. Neste momento, um Policial Militar que reside próximo ao local do crime e ouviu os tiros, mesmo à paisana, escondeu-se atrás de um poste e deu ordem para que o condenado cessasse os disparos. Na sequência, o condenado tentou investir contra o policial, atirando mais vezes. O policial revidou os disparos, fazendo com que o condenado entrasse no veículo e fugisse do local.

Homenagem 

Após a atuação para evitar que o homicídio se consumasse, o Policial Militar recebeu uma medalha na Câmara de Vereadores de Chapecó e foi promovido por bravura na Polícia Militar de Santa Catarina.