O Ministério Público de Santa Catarina utiliza cookies para gerar informações estatísticas de visitação, aperfeiçoar a experiência do usuário e prestar os serviços online.
Respeitando seu direito à privacidade, em breve você poderá fazer a gestão dos cookies por ferramenta própria disponível no site.
Até a implementação da ferramenta, você poderá optar por impedir/modificar esse tratamento por meio das configurações do seu navegador.



Post

O Tribunal do Júri da Comarca de Criciúma atendeu ao pedido do Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) e condenou Fabiano Pedro a 10 anos, 10 meses e 20 dias de reclusão por tentativa de homicídio triplamente qualificado. Em 2020, o réu atirou diversas vezes contra um homem, que estava em um carro, na principal avenida de Criciúma.

A Promotora de Justiça Diana da Costa Chierighini, da 1ª Promotoria de Justiça de Criciúma, atuou pelo MPSC durante a sessão do júri e sustentou que o crime foi cometido por motivo fútil, já que o acusado tentou tirar a vida da vítima por ela ter feito comentários sobre o fato de que ele teria voltado a usar drogas.

De acordo com a denúncia, o crime também foi praticado com emprego de meio que dificultou a defesa da vítima, pois ela foi surpreendida em via pública pelo acusado, que realizou uma manobra trancando a passagem do veículo, aproximou-se da porta do motorista e efetuou os disparos.

Ao disparar várias vezes contra a vítima em via pública, substituindo inclusive o carregador da arma, o acusado causou risco comum a quem trafegava ou estava próximo ao local.

Dessa forma, pelas circunstâncias do crime, o Ministério Público denunciou Fabiano e pediu a sua condenação por homicídio tentado triplamente qualificado.

O réu deverá cumprir a pena em regime inicial fechado.

Por já estar preso preventivamente e, tendo sido reconhecida a necessidade de manutenção da prisão, o réu não poderá recorrer em liberdade.