O Ministério Público de Santa Catarina utiliza cookies para gerar informações estatísticas de visitação, aperfeiçoar a experiência do usuário e prestar os serviços online.
Respeitando seu direito à privacidade, em breve você poderá fazer a gestão dos cookies por ferramenta própria disponível no site.
Até a implementação da ferramenta, você poderá optar por impedir/modificar esse tratamento por meio das configurações do seu navegador.




Como previnir o assédio? Assédio acontece de mulher para homem? O que fazer quando não acontece a denúncia por medo de represália? 

Essas são apenas algumas das perguntas que recebemos sobre o tema "Assédio Moral e Sexual", que será tratado em um live nas redes sociais do MInistério Público de Santa Catarina, na próxima segunda-feira, dia 09/03, às 17:30.

A jornalista Sonia Campos, assessora de comunicação do MPSC, vai conversar com a Promotora de Justiça Helen Sanches, titular da 34ª Promotoria de Justiça da capital. A Promotora de Justiça vai responder as perguntas que já foram enviadas para nossos canais e poderá responder outras perguntas sobre este assunto durante a transmissão. 

Esta é a primeira vez que o MPSC realiza uma transmissão ao vivo para levar aos catarinenses informações sobre um assunto escolhido pela próprios seguidores.  

O objetivo da transmissão é, além de marcar o mês em que se comemora o dia Internacional da Mulher, orientar e informar sobre o tema. 

Escolha do tema:

No final do mês de fevereiro, perguntamos nas nossas redes sociais qual o assunto o público queria saber mais durante o mês da mulher. A opção com maior número de votos foi "assédio moral e sexual" (162 votantes), depois "violência obstétrica" (106 votantes) e por último "violência doméstica" (58 votantes). 

Depois de escolhido o tema, pedimos para que os seguidores enviassem perguntas sobre o tema. As perguntas foram recebidas em comentários e mensagens privadas.





LOGO DA CAMPANHA PODE SIM

CONHEÇA OUTRAS CAMPANHAS DO MPSC

De cunho pedagógico e voltada ao público jovem, a campanha pretende provocar reflexão e debate sobre as desigualdades entre homens e mulheres, chamando atenção para a necessidade de quebra de estereótipos e de preconceitos. Os estereótipos podem ser entendidos como as expectativas que se criam a respeito das pessoas e comportamentos que são esperados com base em padrões pré-estabelecidos socialmente.


CONHEÇA A CAMPANHA PODE SIM