Post

Na manhã desta quinta-feira (1º/2), o Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO) deflagrou a operação "Maserati IV". A operação visa combater organização criminosa que busca ampliar a atuação em Santa Catarina.  

Nesta fase da operação, um efetivo de 153 policiais, em 25 viaturas, cumpre 35 mandados de busca e apreensão em nove cidades: Chapecó, Xaxim, São Miguel do Oeste, Iporã do Oeste, Concórdia, Joaçaba e Luiz Alves, em Santa Catarina, e Clevelândia e Foz do Iguaçu, no Paraná.  

A operação é resultado de uma investigação que visa coibir a prática do crime de integrar organização criminosa voltada para a prática de tráfico de drogas, crimes patrimoniais e lavagem de dinheiro.   

Outras fases da operação Maserati 

Na primeira fase, deflagrada em 25 de fevereiro de 2021, foram cumpridas 284 ordens judiciais, abrangendo 142 prisões e 142 buscas e apreensões, distribuídas por 45 cidades e seis Estados. A investigação, iniciada em 2020, revelou conexões em atividades criminosas, pela facção, levando à apreensão de grande quantidade de drogas. Também foi possível, a partir da deflagração, identificar a autoria de diversos homicídios, roubos e sequestros, consubstanciando assim materiais probatórios relevantes às atividades investigativas da Polícia Civil catarinense.    

Post

Além disso, as ações penais ajuizadas em decorrência dos resultados obtidos com a primeira fase resultaram em 160 condenações; dos denunciados, 75 foram condenados a penas superiores a 20 anos de prisão, e a pena máxima aplicada a um dos investigados da primeira fase foi de 86 anos. 

Na segunda fase, ocorrida em 9 de fevereiro de 2023, foi dado cumprimento a 164 mandados judiciais, incluindo buscas e apreensão e prisões preventivas. Essa fase também teve como alvos faccionados atuantes não só em Santa Catarina, estendendo sua abrangência a 10 Estados da federação.   

Já na terceira fase, deflagrada no dia 10 de agosto de 2023, foram cumpridos 48 mandados de busca e apreensão e 35 dos 42 mandados de prisão preventiva expedidos. Os alvos eram faccionados que tinham atuação no estado de Santa Catarina. Uma pessoa foi presa em flagrante e foram apreendidos drogas, equipamentos eletrônicos e documentos.     

Post

A operação  

A operação Maserati representa um marco na luta contra o crime organizado em Santa Catarina. O trabalho conjunto do Ministério Público com as Polícias Civil, Militar, Penal e Rodoviária Federal, juntamente com a Secretaria de Estado da Fazenda e com o Corpo de Bombeiros Militar, aliado ao comprometimento na investigação e, sobretudo, na aplicação da lei pelo Poder Judiciário, reforça o empenho em garantir a segurança da população catarinense e a integridade do Estado. 

A análise dos dados criminais revela, inclusive, o decréscimo no número de crimes nos meses que se seguem à deflagração das operações de combate ao crime organizado. 

Para exemplificar, a comparação entre os meses de setembro, outubro e novembro de 2022 com o mesmo período do ano de 2023 (meses imediatamente subsequentes às deflagrações das operações Maserati III e Sodalitas Finis) revelou, nas regiões de Chapecó, São Miguel do Oeste, Xanxerê e Xaxim, uma redução de 17,7% nos crimes de furto, 43,8% nos crimes de receptação, 25,5% nos crimes de roubo, 20,4% nos crimes de homicídio (tentados ou consumados) e 18,7% nos crimes de tráfico de drogas. 

Prestam apoio à operação o GAECO e as forças policiais do Estado do Paraná.