O Ministério Público de Santa Catarina utiliza cookies para gerar informações estatísticas de visitação, aperfeiçoar a experiência do usuário e prestar os serviços online.
Respeitando seu direito à privacidade, em breve você poderá fazer a gestão dos cookies por ferramenta própria disponível no site.
Até a implementação da ferramenta, você poderá optar por impedir/modificar esse tratamento por meio das configurações do seu navegador.




Post

Margaret Gayer Gubert Rotta e Marcelo Truppel Coutinho tomaram posse como Procuradores de Justiça durante sessão solene do Colégio de Procuradores do Ministério Público de Santa Catarina. O evento aconteceu no Auditório Promotor de Justiça Luiz Carlos Schmidt de Carvalho, no Edifício Ministério Público de Santa Catarina, em Florianópolis.  

O termo de posse e a tomada do compromisso foi lido pela Secretária do Colégio de Procuradores de Justiça, Procuradora de Justiça Vera Lucia Coro Bedinoto. Em seguida o Procurador de Justiça Ary Capella Neto deu boas-vindas ao recém-empossado Marcelo Truppel Coutinho. Amigos de longa data, Capella Neto lembrou a atuação destacada do novo Procurador de Justiça. "Permaneceu em Balneário Camboriú até 2008 [...]Nesse período, teve destacada atuação na área da infância e da juventude e, posteriormente, na área da coletividade, onde, entre tantas outras atividades, teve de enfrentar o iminente colapso no atendimento hospitalar em Balneário Camboriú. O Hospital Santa Inês, único que fazia atendimento pelo SUS naquele município, apresentava-se em situação muito complicada, com atendimento extremamente precário e quase fechando as portas para a população, quando a atuação do Promotor de Justiça levou a situação a bom termo", lembrou. 


Post

Ary Capella evidenciou, ainda, as características pessoais que ficarão marcadas também na nova fase da carreira. "Sua atuação na carreira explica os motivos pelos quais Marcelo granjeou grande admiração e respeito na classe. Porém, somente quem com ele conviveu diariamente durante anos, como é o meu caso, pode melhor testemunhar o ser humano que hoje ascende ao segundo grau da instituição. Numa atividade que pressupõe a existência de conflitos de interesses, em que se vive debatendo e discordando tanto nos autos quando em audiências não há nada que pague a convivência com pessoas tranquilas, serenas, gentis", finalizou desejando ainda, sucesso ao colega.  

O Procurador de Justiça Procurador de Justiça Rui Arno Richter, relembrou a trajetória profissional da empossada Margaret Gayer Gubert Rotta e, em nome do Colégio de Procuradores de Justiça, deu as boas-vindas. 

"Quis o destino que tivéssemos mais uma colega nas últimas quatro vagas ao Colégio de Procuradores, a 3ª Procuradora de Justiça. Muito bem-vinda, por merecimento, depois de percorrer todos os estágios da carreira.  Margaret encarna em uma só pessoa a quebra de diversos paradigmas, sempre travou o seu trabalho com a certeza do valor que portava e da defesa do cidadão catarinense em diversos aspectos.[...]  

Citando o Decálogo do Promotor de Justiça, Richter cita: "Combatemos a criminalidade, não massacramos pessoas. Mas o amor, a justiça a ser feita pela vítima, nos move. E Margaret chega para somar à Procuradoria Criminal, onde certamente vai ali exercer todo o seu empenho e vitalidade conhecida na primeira instância."

Post

Em seguida os empossados discursaram. O Procurador de Justiça Marcelo Truppel Coutinho agradeceu em seu discurso a todos que o acompanharam em toda a carreira e emocionado destacou. "Acredito que somos resultado das nossas experiências de vida. Hoje estou vivendo um grande momento de felicidade em minha vida", disse. "Desde que ingressei no Ministério Público desenvolvo um raciocínio romântico de que a instituição quando concebida pela nova ótica dos constituintes passou a ser comparada a pedra preciosa e rara que precisa ser cuidada, moldada e polida pela sociedade. Sobre esta ótica sempre exerci as atividades de promotor de justiça tendo entendimento da nossa missão. Durante a minha trajetória profissional sempre busquei a compreensão de que além da além da missão constitucional, temos que ter a visão clara de que somos os verdadeiros agentes políticos moldados para fazer as coisas acontecerem, exercendo serenamente a solidariedade e humildade descendo até as bases da sociedade, conhecendo os problemas e patologias sociais para promover a pacificação social. Esta sim deve ser nossa entrega a sociedade", afirmou. 

Marcelo encerrou reforçando seu compromisso com a instituição. "Ciente estou da responsabilidade ao assumir esta nova função. Por isso, reafirmo meu compromisso e juramento já prestado para cumprir meu papel no Colégio de Procuradores".