O Ministério Público de Santa Catarina utiliza cookies para gerar informações estatísticas de visitação, aperfeiçoar a experiência do usuário e prestar os serviços online.
Respeitando seu direito à privacidade, em breve você poderá fazer a gestão dos cookies por ferramenta própria disponível no site.
Até a implementação da ferramenta, você poderá optar por impedir/modificar esse tratamento por meio das configurações do seu navegador.



Post

Dois dos quatro integrantes de uma facção criminosa acusados pelo Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) por um duplo homicídio foram condenados em sessão do Tribunal do Júri realizada nesta quarta-feira (6/4), em Blumenau. Gabriel Sancler Soares e Thiago de Souza Santana receberam penas de, respectivamente, 37 anos e 3 meses, e 32 anos e 6 meses de prisão. Os outros dois réus têm o julgamento marcado para o dia 4 de maio deste ano. 

Os crimes foram cometidos no dia 30 de novembro de 2019, quando os quatro acusados resolveram matar um desafeto - com quem já haviam brigado em outras ocasiões - que suspeitavam pertencer a uma facção rival. 

Os quatro foram, de carro, ao bar onde a pretensa vítima estaria. Thiago primeiro ficou com o motorista no carro, de quem recebeu a arma, enquanto Gabriel e o outro comparsa foram até a entrada do bar para confirmar a presença do alvo.  

Os dois retornaram ao carro e então Thiago desceu e, de fora do bar, disparou três tiros na direção da vítima. Porém, errou os três tiros e acertou em outras duas pessoas que estavam no local, causando os ferimentos que causaram a morte das duas. 

A Promotora de Justiça Andréa Gevaerd, que representou o MPSC perante o Tribunal do Júri, sustentou que os réus cometeram dois homicídios qualificados por motivo torpe e uso de recurso que dificultou a defesa das vítimas, bem como o crime de organização criminosa qualificada

O Conselho de sentença acolheu a tese do Ministério Público e condenou os dois acusados que, presos preventivamente desde a fase investigatória, não poderão recorrer da sentença em liberdade.