O Ministério Público de Santa Catarina utiliza cookies para gerar informações estatísticas de visitação, aperfeiçoar a experiência do usuário e prestar os serviços online.
Respeitando seu direito à privacidade, em breve você poderá fazer a gestão dos cookies por ferramenta própria disponível no site.
Até a implementação da ferramenta, você poderá optar por impedir/modificar esse tratamento por meio das configurações do seu navegador.



Post

Na manhã desta sexta-feira (29/1), o Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO) deflagrou a Operação Varredura, em conjunto com a Divisão Especializada de Repressão à Corrupção da Polícia Civil (DECOR), com a Polícia Militar e com a Corregedoria do Departamento de Administração Prisional, para executar o cumprimento de seis mandados de busca e apreensão e um de prisão temporária, todos em Chapecó.

Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara Criminal da Comarca de Chapecó a pedido da 10ª Promotoria de Justiça de Chapecó, em um procedimento investigatório criminal (PIC) que apura possível fraude no fornecimento de produtos ao Presídio de Chapecó.

A investigação busca apurar a ocorrência de possíveis crimes de corrupção ativa, corrupção passiva e associação criminosa envolvendo servidor público estadual e empresas contratadas por procedimentos licitatórios, que estariam fornecendo para o complexo prisional de Chapecó produtos em quantidade menor ou qualidade inferior ao previsto nos contratos.

Mais informações não podem ser prestadas neste momento a fim de não prejudicar a continuidade das investigações.

O GAECO é uma força-tarefa composta pelo Ministério Público de Santa Catarina, pelas Polícias Militar, Civil e Rodoviária Federal e pela Secretaria Estadual da Fazenda.