O Ministério Público de Santa Catarina utiliza cookies para gerar informações estatísticas de visitação, aperfeiçoar a experiência do usuário e prestar os serviços online.
Respeitando seu direito à privacidade, em breve você poderá fazer a gestão dos cookies por ferramenta própria disponível no site.
Até a implementação da ferramenta, você poderá optar por impedir/modificar esse tratamento por meio das configurações do seu navegador.




Post

Em sessão solene do Colégio de Procuradores do Ministério Público de Santa Catarina, Rosemary Machado Silva e Vera Lúcia Coro Bedinoto tomaram posse como Procuradoras de Justiça. O evento aconteceu no Auditório Promotor de Justiça Luiz Carlos Schmidt de Carvalho, no Edifício Ministério Público de Santa Catarina, em Florianópolis. Com a chegada de Rosemary e Vera Lúcia, o Ministério Público catarinense passa a contar com 11 Procuradoras de Justiça. 

Rosemary Machado Silva tomou posse como Promotora de Justiça substituta em 1985. Atuou nas comarcas de Barra Velha, São Francisco do Sul, Joinville e Criciúma até chegar à Capital, onde trabalhou desde 2018, na 27ª Promotoria de Justiça. Como Procuradora de Justiça, irá atuar na 31ª Procuradoria Criminal. 

Vera Lúcia Coro Bedinoto ingressou no MPSC em 1990. Foi Promotora de Justiça nas comarcas de Tubarão, Campo Erê, Capinzal, Urussanga, Araranguá, Criciúma e Lages. Como Procuradora de Justiça, atuará na 32ª Procuradoria Cível. 


Post

A solenidade 

O Secretário do Colégio de Procuradores de Justiça, Procurador de Justiça Protásio Campos Neto, fez a leitura do termo de posse e a tomada do compromisso das empossadas. Em seguida, a Procuradora de Justiça Gladys Afonso fez o discurso de boas-vindas a Rosemary Machado Silva, destacando o momento histórico para o Ministério Público. "Duas mulheres ascendem ao mais alto grau da carreira, irão integrar um importante e destacado colegiado, vindo somar suas experiências de vida e profissional, o que distingue cada um de nós, torna a vida um eterno aprendizado e traz uma dinâmica diferente aos órgãos colegiados. O dia de hoje marca um aumento quantitativo de mulheres no Colégio de Procuradores, considerando o inegável contexto histórico que envolve as lutas e as conquistas femininas. Mas sem dúvida, a par deste importante marco, o mais importante é a experiência e a sabedoria que as duas colegas têm a emprestar, o que será muito valoroso no segundo grau", disse. 

Gladys falou sobre a amizade e o relacionamento próximo entre as famílias. "A sintonia da amizade se estendia ao trabalho. A confiança, mola-mestra desta atuação, reverteu em benefício da sociedade. Mesmo de longe, quando a carreira, por força da distância, tentava nos separar, o contato entre nossas famílias permaneceu sempre presente". A Procuradora de Justiça finalizou reforçando a responsabilidade que agora assume no segundo grau. "Nossa missão é de suma importância, pois somos vistos como guardiões da sociedade, uma instituição que atua nas causas coletivas. Nossa unidade nos dá força para seguir em frente, no mesmo caminho. Agimos em nome da instituição e nossa legitimação decorre da sociedade, portanto temos a obrigação de sermos fiéis aos bons princípios, à equidade, à liberdade, enfim, devemos nos guiar pelo propósito de fazer justiça social. Este papel não é mitigado no segundo grau. Aqui ele se revela de forma diferente, mas igualmente relevante. Atuamos perante os Tribunais de Justiça, dando continuidade às nossas teses, àquilo que iniciamos na base, mas que só se solidifica se tivermos uma atuação alinhada no segundo grau. Ainda, o Colégio de Procuradores é órgão que define as mais diversas políticas da instituição e é responsável por decisões que podem impactar sobremaneira o Ministério Público e, por consequência, a sociedade".  

Post

Coube ao Procurador de Justiça Gercino Gerson Gomes Neto saudar Vera Lúcia Coro Bedinoto. Destacou a brilhante atuação da empossada na área da infância e juventude, com ênfase no enfrentamento à violência e exploração sexual infantojuvenil, bem como na área criminal. "Sua atuação foi decisiva na mudança de olhar da magistratura catarinense no que diz respeito à condenação dos abusadores sexuais de crianças e adolescentes, obtendo condenações e penas exemplares que serviram de referência não só em Santa Catarina, mas para muitos estados brasileiros". 

O Procurador de Justiça desejou sucesso à empossada Vera Lúcia, reforçando o papel do Ministério Público como defensor da sociedade. "A sua chegada fortalece a luta do MP, com a visão social que tem da nossa instituição, e se soma a muitos outros aqui neste colegiado e que poderão contribuir para esta volta ao Ministério Público cidadão, que compreenda as pessoas e a sociedade como um todo como seu constituinte, pois somos nós os advogados de defesa da vida, da saúde, da educação, dos direitos humanos, do meio ambiente e dos demais interesses individuais indispensáveis coletivos e difusos".