O Ministério Público de Santa Catarina utiliza cookies para gerar informações estatísticas de visitação, aperfeiçoar a experiência do usuário e prestar os serviços online.
Respeitando seu direito à privacidade, em breve você poderá fazer a gestão dos cookies por ferramenta própria disponível no site.
Até a implementação da ferramenta, você poderá optar por impedir/modificar esse tratamento por meio das configurações do seu navegador.






Na manhã desta quarta-feira (14/04), o Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas (GAECO), em conjunto com o Grupo Especial Anticorrupção (GEAC), com apoio da Divisão de Investigação Criminal (DIC) da Polícia Civil de Lages, deflagrou a operação batizada como Concreto Armado, realizando o cumprimento de mandados de busca e apreensão nas cidades de Lages e Otacílio Costa.

A Promotoria de Justiça da Comarca de Otacílio Costa, o GAECO e o GEAC, após receberem informações repassadas pela atual gestão da Prefeitura Municipal de Otacílio Costa, constataram fortes indícios da participação dos investigados (agentes públicos e privados) nos delitos de organização criminosa, fraude em licitação, peculato, corrupção, entre outros.

O nome da operação deve-se ao fato da empresa envolvida nas fraudes, que atua na área de blocos e artefatos de cimento, possivelmente beneficiada em processos licitatórios organizados pela gestão municipal anterior, teria entregado serviços e materiais em quantidade inferior aos valores recebidos, além de serviços contratados e não realizados, com o compromisso de repassar um percentual dos desvios aos agentes públicos envolvidos no esquema criminoso.

Ao todo, foram expedidos pelo Poder Judiciário (Vara Única da Comarca de Otacílio Costa) nove (09) mandados de busca e apreensão que estão sendo cumpridos por Policiais do GAECO e da DIC da Polícia Civil de Lages, com o apoio do Instituto Geral de Perícias (IGP).